Crianças e Óculos - A falta de visão afeta 7% das crianças em idade escolar e 18% dos adolescentes

Você tem visto muitas crianças usando óculos ultimamente? Tem se perguntado se a visão delas hoje em dia está pior do que as de antigamente? As crianças são as mesmas; porém pais, professores e pediatras estão, atualmente, mais atentos a esse aspecto. A falta de visão afeta 7% das crianças em idade escolar e 18% dos adolescentes. Muitos enxergam de maneira “desfocada” desde o nascimento, e não sabem que é possível melhorar sua visão. O problema costuma tornar-se evidente, quando entram na escola e precisam ver bem e de longe.

Nesta fase, a alteração e suas consequências já podem estar estabelecidas, tornando-se irreversíveis. O ideal é que o bebê seja submetido ao teste do “olhinho” ao nascer, e a um exame oftalmológico completo no primeiro ano de vida, feito pelo especialista. Quando o problema é detectado, ele pode ser corrigido com o uso de óculos, que permite, então, a estimulação da visão e o seu desenvolvimento normal. Entretanto, isso precisa ocorrer na fase em que a criança está “aprendendo” a ver, nos seus primeiros anos de vida. Toda criança merece e deve ser examinada. Em famílias, onde há histórico de problemas oftalmológicos, especialmente, na infância, o exame é imprescindível.

Esteja atento para estes sinais de alerta: falta de interesse em pessoas ou objetos distantes, a necessidade de aproximar-se para ver a televisão, esfregar ou apertar os olhos, desconforto com a claridade, fechar apenas um dos olhos à luz ou dificuldade na escola. Se você ainda não levou seu filho para uma avaliação oftalmológica, ou notou algum destes sinais, não perca mais tempo! O exame é simples, indolor, e o uso dos óculos pode permitir à criança uma infância “normal”, vendo tudo que acontece ao seu redor. Não prive seu filho disso! Faça o seu exame oftalmológico!